7 trilhas fáceis no Rio de Janeiro

Semana passada, no dia 19 de Fevereiro, foi dia do esportista. Em alguns dias, no dia 01 de Março, é aniversário do Rio de Janeiro. Misturando tudo isso, pensamos em um tema especial para vocês: as trilhas do Rio de Janeiro.

Apesar de entregarmos produtos para todo o Brasil, o Rio continua sendo o berço da nossa marca, foi onde a MedShop nasceu, e por isso temos muito amor por essa cidade.

O Rio de Janeiro encanta por suas belezas naturais e não tem melhor forma de praticar esportes que tenham contato com essas maravilhas. Por isso, fizemos uma lista com algumas trilhas fáceis para você aproveitar!

1.Trilha do Mirante do Sacopã

Outra opção de trilha tranquila. Essa começa no Parque da Catacumba, próximo à Lagoa Rodrigo de Freitas. A caminhada até o topo é leve e dura cerca de 20 minutos. O mirante que fica a 134 metros de altura oferece uma ampla vista da Lagoa. O trajeto é leve e recomendado para pessoas de todas as idades. O nível de esforço físico requerido é baixo e a trilha é bem sinalizada. Se tiver um dinheirinho extra, pode até fazer um rapel, arborismo, tirolesa, com um grupo que tem esses equipamentos do parque.

2.Trilha do Morro da Urca

É uma trilha considerada fácil, com cerca de 1.5Km de extensão. Ela vai te levar até ao topo do Morro da Urca, oferecendo uma vista incrível da Baía de Guanabara, Cristo Redentor e praias da Zona Sul do Rio. A subida leva 40 minutos e alterna trechos íngremes e planos. A trilha se inicia na pista de caminhada Cláudio Coutinho, no canto esquerdo da Praia Vermelha. Uma dica boa é que, se você subir a trilha, pode descer pelo Bondinho gratuitamente no último carro do dia! Informe-se melhor dos horários quando chegar lá no topo.

morro da urca

3.Trilha da Pedra Bonita

O caminho até o topo é pouco íngreme e sem grandes obstáculos. A trilha é considerada leve e relativamente fácil. O trajeto dura até 40 minutos. O percurso tem seu início na Estrada da Pedra Bonita, na bifurcação da Estrada das Canoas. Próximo ao ponto de partida da trilha fica localizada a rampa de voo livre, de onde partem voos de asa delta e de parapente. Você pode subir de carro até lá e seguir a pé até o cume.

pedra-bonita-pinterest

4.Trilha da Cachoeira do Chuveiro (Horto)

Essa trilha de acesso dura certa de 20 minutos e seu caminho foi adaptado para facilitar a passagem dos aventureiros. Para chegar, siga pela rua Pacheco leão, até chegar na entrada da Vista Chinesa, que dará ao Parque Nacional da Tijuca. De lá, a trilha é sinalizada por placas. A recompensa é uma cachoeira deliciosa. Leve roupa de banhos e chinelos.

cachoeira-chuveiro-coisa-de-carioca

5.Trilha do Pico do Caeté

A caminhada é considerada leve e exige pouco esforço físico. Durante o percurso de cerca de 30 minutos, é possível observar diversos exemplares de plantas e animais, já que o circuito é por dentro da Mata Atlântica. A trilha se inicia no Parque Municipal Ecológico da Prainha, na Zona Oeste. O caminho é bem definido e sinalizado até o topo. De cima do morro, há um mirante localizado a 130 metros de altitude, que oferece ampla visão para a Pedra do Pontal, Recreio dos Bandeirantes e Barra da Tijuca.

6. Trilha para a Praia do Perigoso

A caminhada tem seu início na praia de Guaratiba e segue até a praia do Perigoso. A caminhada é considerada leve e não exige elevado condicionamento físico, embora seja relativamente longa, cerca de 1 hora. Essa é uma das praias mais procuradas para acampar e curtir a natureza em estado mais próximo ao natural.

Praia-do-Perigoso

7.Trilha do Açude do Camorim

A trilha ao redor do açude é uma boa opção de passeio, com cerca de dois quilômetros de caminhada, leva pouco mais de uma hora para ser concluída. A subida é considerada fácil e o trajeto, bem marcado. O início do percurso localiza-se ao lado do Centro de Visitantes do açude. Durante o percurso, você vai poder admirar diversas espécies de árvores, ainda remanescentes da Mata Atlântica.

A MedShop incentiva a prática de esporte para o bom funcionamento do corpo e manutenção da saúde, mas nunca deixe de consultar seu médico, antes de iniciar qualquer atividade física.

Zica Vírus: 11 dicas de como se proteger e mais!

O Zica Vírus é um caso que a OMS (Organização Mundial de Saúde) entendeu como emergência internacional. O Papa Francisco em pronunciamento abriu uma exceção ao uso de contraceptivos aos cristãos, pensando em evitar mais casos da doença e diminuir casos de microcefalia. A doença ainda não foi totalmente desvinculada desses acontecimentos, por isso é importante, principalmente para as grávidas, ter atenção para evitar o contagio e a proliferação da doença. Já falamos sobre o que é o Zica Vírus, quais são os sintomas e tratamento. E hoje, vamos falar sobre como evitar a doença.

Vamos dividir esse post em dois. A primeira parte vai ser sobre como evitar a proliferação. O vírus já está, literalmente, pelos ares, por isso, precisamos nos unir para acabar com a reprodução dos mosquitos. A segunda parte vai falar sobre o que fazer e como se prevenir contra o vírus, enquanto não erradicamos os mosquitos.

Como evitar a proliferação

1.       Evite água parada

Já vimos que o mosquito se reproduz na água parada, por isso, para evitar sua reprodução  é importante tomar precauções em sua própria casa. Preste atenção em tudo que pode acumular água em sua casa, vire garradas vazias e baldes para baixo, retire entulhos do quintal ou de terrenos vizinhos,  varra a água acumulada no quintal e na rua, limpe as calhas, cubra caixas d’água e piscinas, que não estejam devidamente cloradas (o cloro impede a reprodução dos mosquitos).

2.       Mantenha tudo limpo

Mantenha tudo lavado com água e sabão! Os ovos do Aedes podem resistir por 1 ano num local seco, esperando a quantidade mínima necessária para iniciar sua transformação de lava a mosquito. Por isso, lave diariamente recipientes de comida de animais domésticos e itens que podem ser depósitos para os ovos do mosquito.

3.       Coloque areia nos vasos de planta

Coloque terra nos pratos que ficam embaixo dos vasos, pois ela manterá a umidade para a planta e evitará a reprodução do mosquito.

4.       Cuidado com o lixo

Feche bem os sacos plásticos e coloque o lixo na rua apenas nos dias de coleta pelo caminhão do lixo. O lixo de casa pode acumular água e favorecer o crescimento do mosquito.

 5.       Se você foi infectado, evite a propagação.

Se uma pessoa está infectada o vírus fica no sangue e pode ser passado para os outros por meio de picadas.

Por isso, ela deve seguir passando repelente principalmente na primeira semana e tomar os devidos cuidados para evitar outras picadas – que poderão contaminar outras pessoas por intermédio do mosquito picador.

Além disso, apesar de não haver nenhuma confirmação oficial de que há risco de transmissão sexual do zika (e de isso estar sendo estudado), alguns especialistas recomendam o uso de camisinha pelo menos por duas semanas durante a recuperação da doença.

Extra:

Em alguns lugares afetados estratégias bem diferentes foram adotadas para controlar a proliferação do Aedes Aegypti.

Em Jacobina (BA) e em Piracicaba (SP) a população conseguiu controlar a reprodução do mosquito desenvolvendo um mosquito macho, geneticamente modificado, com a proteína TTA.

Os mosquitos que nascerem dos cruzamentos com esses transgênicos irão morrer antes de chegar à vida adulta.

Em Itapetim (PE) foi criado um “exército natural” de peixes de pequeno porte de água doce e colocá-lo em caixas d’água e cisternas que abrigam larvas do mosquito. O peixe come os ovos e os impede de se desenvolver.

Como se prevenir

7.       Use repelente

Aplique repelente regularmente, obedecendo às instruções da embalagem. O Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) recomenda a utilização de repelentes à base de n,n-Dietil-meta-toluamida (DEET) ou icaridina. Uma dica que pode ser boa e não faz mal é usar repelentes naturais como óleo de andiroba, óleo de copaíba, alecrim, citronela, laranja, eucalipto. As velas de citronela, também podem ser uma boa para espantar mosquitos.

8.       Coma alimentos ricos em vitamina B1

O processo digestivo de alimentos com essa vitamina liberta compostos sulfúricos na pele, que por sua vez, tem um aroma que os mosquitos não gostam. Alguns exemplos desses alimentos são: ovomaltine, arroz integral, farinha integral, levedura de cerveja (pode ser usada em pó para fazer vitamina).

9.       Use roupas compridas

Utilize roupas que deixem poucas partes do corpo expostas ao mosquito. No verão pode ser um pouco mais difícil cumprir essa recomendação, mas, pelo menos de noite, pode ser uma boa se cobrir um pouco mais. . Mas é bom lembrar que o Aedes aegypti costuma agir mais durante o dia, então é bom que o cuidado seja permanente.

10.       Certifique-se que o seu lar é “à prova de mosquito”

Nós sabemos que no calor é difícil manter a casa fechada. Mas no final da tarde é importante mantes portas fechadas e janelas vedadas. Colocar telas em portas e janelas é importante para impedir a entrada do mosquito em casa, evitando que ele se multiplique no lixo da cozinha, em vasos de plantas ou em poças de água no banheiro.

Durante a noite, um mosquiteiro pode oferecer uma proteção extra.

11.       Pesquise sobre o “Fumacê”

Basicamente, são caminhonetes adaptados “mangueirões” que soltam jatos de inseticidas em casas ou edifícios para matar os mosquitos adultos. A técnica tem sido bastante utilizada em algumas das regiões mais afetadas do país e nos locais de competições olímpicas aqui no Rio de Janeiro. Você pode se juntar com os vizinhos e pensar se essa solução vale a pena.

12.       Evite viagens

Os órgãos de saúde têm opiniões controversas nesse item.  Os representantes do CDC, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos, se pronunciaram indicando que “até que se saiba mais a respeito da doença, mulheres grávidas devem considerar adiar viagens para quaisquer áreas onde a transmissão do zika vírus está endêmica”.

No entanto, a OMS, não adotou a mesma recomendação. E disse: “Baseado em evidências concretas, a OMS não está recomendando nenhuma restrição de viagem ou de negócios relacionada ao zika vírus. Como medida de precaução, alguns governos podem fazer recomendações de saúde pública para a população local baseados em suas avaliações próprias.”

Por isso, se você vive em uma das áreas de maior incidência do mosquito e da doença, que são Pernambuco, Paraíba e Bahia, não se desespere para sair de sua cidade, porém, evite visitá-las enquanto estamos na luta contra o vírus e o mosquito.

É sempre melhor prevenir, não é mesmo? O que você está fazendo para se proteger contra a Zica? Conta pra gente!

 

Dicas de corrida para iniciantes

Praticar esporte é um hábito saldável e muito benéfico, não só para o corpo, como para a mente. Além de tonificar, dá maior disposição para as suas atividades profissionais, aumenta a autoestima, a autoconfiança, o raciocínio, entre outras melhorias na sua qualidade de vida.

O ponto positivo da corrida na rua é que essa atividade é totalmente gratuita, porém, você tem que tomar alguns cuidados, ou o seu corpo é que vai pagar a conta.

Antes de começar a praticar qualquer exercício físico é importante consultar um médico. Um cardiologista e um ortopedista são os mais indicados para quem vai começar esse tipo atividade. O profissional vai avaliar as condições do seu corpo antes de você começar a se exercitar. O cardiologista vai verificar a saúde do seu coração, sua frequência máxima e mínima, enquanto o ortopedista vai avaliar seus ossos e músculos para evitar lesões.

Depois disso você vai estar quase pronto para começar, mas é importante ter a roupa e o tênis adequados para o esporte. Na sua consulta no ortopedista, lembre-se de perguntar pra ele sobre o seu tipo de pisada, ela pode ser: neutra, que é a pisada correta; pronada, que é quando há rotação interna excessiva do pé, ou como costumamos dizer pisada para dentro; ou supinada, que é quando há rotação externa excessiva, ou pisada para fora. Você consegue analisar isso observando aonde a sola do seu tênis é mais gasta, porém, o aval de um médico é sempre o mais indicado, já que seu tipo de pisada influencia sua postura na hora da corrida, e isso interfere no seu desempenho. O tênis correto vai te ajudar a compensar o desvio da pisada , alinhando a coluna.

Caso você se esqueça de fazer o teste de pisada durante a consulta, há lojas de tênis onde é possível realiza-lo. Se você não puder adquirir um desses tênis especiais procure um modelo específico de corrida com amortecedores.

É essencial escolher roupas leves e de acordo com a condição climática para treinar. Escolha as malhas com tecnologia dry-fit, que é especial para a realização de esportes, pois permitem a evaporação rápida do suor. Para mulheres é indicado o uso de tops, que além de darem sustentação aos seios, ajudam a manter a postura.

Agora que você já fez a sua avaliação médica e comprou o tênis ideal você está pronto para começar. Escolha um lugar arborizado para o seu treino, especialmente se você for correr durante a manhã ou tarde. Indicamos também achar um lugar com outras pessoas se exercitando, isso ajuda a manter a sua motivação. Parques ou o calçadão da praia são muito indicados, por geralmente não terem circulação de veículos, mas atenção às elevações, se você está começando é bom escolher um local sem muitos obstáculos.

 

Se você é totalmente sedentário ou está há muito tempo sem praticar esportes, o ideal é começar devagar, para que seu corpo tenha tempo para se adaptar à sua nova rotina. O melhor método é ter um profissional de educação física acompanhando e montando um treino específico para você, mas se isso não for possível, existem aplicativos de celular que ajudam nessa tarefa. Porém, o importante é não forçar demais o seu corpo no início. Respeite o seu ritmo. Comece com caminhadas moderadas por 30 minutos e insira trotadas (caminhada rápida) quando se sentir preparado, intercalando com a caminhada moderada. Quando se sentir confortável trotando pelos 30 minutos já é hora de inserir uma corrida leve. E assim por diante, até conseguir correr a distância almejada por completo.

Fique atento à sua postura, é necessário manter a coluna ereta. Existem exercícios posturais que podem ser feitos antes do treinamento. Também é importante fortalecer os músculos, intercalando os treinos de corrida com a academia, onde devem ser feitos exercícios para a perna e coxas.

Lembre-se sempre de se alimentar bem e beber bastante água. O treino nunca deve ser feito em jejum.  Duas horas antes do treino um alimento com carboidrato de fácil absorção, como massas e pães, para obter energia suficiente, mas sem exageros para evitar problemas gástricos ou até congestão. A hidratação deve ser feita antes, durante e depois da atividade, com água ou bebida isotônica. Para treinos durante o dia o boné e o protetor solar também são super importantes.

Zica Vírus: Sintomas e Tratamento

Na semana anterior contamos para vocês um pouco do que é o Zica Vírus, como, quando e onde ele surgiu e outras curiosidades. Esse domingo vamos falar sobre quais são os sintomas e tratamentos para essa doença, para que você consiga identificar o problema. Se você suspeita que está com Zica, procure o seu médico o quanto antes para realizar os testes para identificar a doença (geralmente um exame de sangue)  e tratá-la.

Os sinais dessa doença se assemelham muito com os sintomas da infecção por dengue. De 3 a 12 dias após a picada do mosquito você pode começar a sentir os primeiros indícios do Zica Vírus, que são:

  • Febre baixa (entre 37,8 e 38,5 graus);
  • Dor muscular;
  • Dor de cabeça e atrás dos olhos;
  • Dor nas articulações, mais frequentemente nas articulações das mãos e pés, com possível inchaço;
  • Erupções cutâneas, acompanhadas de coceira. Podem afetar o rosto, o tronco e alcançar membros periféricos, como mãos e pés.

E também podem ser incluídos, porém mais raramente:

  • Constipação
  • Fotofobia e conjuntivite
  • Dor abdominal
  • Diarreia
  • Pequenas úlceras na mucosa oral.

Em casos de Zica, não há tratamento específico para a doença, só para alívio dos sintomas. O importante é descansar, fazer uma alimentação rica em vitaminas e minerais, beber muita água e seguir as recomendações do seu médico. Geralmente, os medicamentos usados são anti-inflamatórios, evitando os não hormonais, e analgésicos, que não contenham ácido acetilsalicílico ou substâncias associadas. Isso porque, esses medicamentos possuem ação anticoagulante e pode causar sangramentos internos.

Se os sintomas não se recuperarem espontaneamente de 4 a 7 dias, procure o seu médico novamente para mais indicações.

5 dicas para retomar o pique depois do Carnaval

O carnaval está chegando ao fim. Depois de 4 dias intensos de folia você vai precisar se recompor para voltar à rotina. Dizem que só depois que o carnaval termina é que o ano começa. Pois bem, a MedShop pensou em vocês e preparou um post com algumas dicas para os foliões se recuperarem depois do carnaval e começarem o ano cheios de energia. Se você seguiu nosso guia de como cuidar do seu corpo durante o carnaval, não vai ter muitos problemas agora. Mas, se você não leu, vamos te ajudar a voltar pro seu dia a dia de bem com a vida.

  • Descanse! Nessa quarta de cinzas vá pra cama cedo, procure repousar e só fazer atividades relaxantes.
  • Consuma frutas, legumes, verduras. Os alimentos antioxidantes, como a cenoura, bobora, agrião, couve, brócolis, espinafre, vegetais, folhas verdes, cereais integrais, gérmen de trigo, mamão, laranja, limão e acerola, ajudam a recuperar o seu corpo após o desgaste físico.
  • Beba bastante água para se reidratar. Água de coco, chá verde também são boas pedidas.
  • A gente sabe que, pelo menos no Rio está muito calor, mas um banho quente pode ajudar a relaxar os músculos.
  • Para as dores nos pés, faça um escalda pés enquanto assiste a um bom filme. E só use sapatos confortáveis.

Caso você esteja com dores persistentes ou que fiquem muito fortes, é indicado procurar um especialista, para entender se não houve alguma fratura no local.

Conta pra gente, como foi o seu carnaval?

Zica Vírus: O que é?

Essa semana vamos começar uma série de posts sobre um assunto que tem sido muito debatido: o Zica Vírus. Muitas pessoas ainda não sabem o que é, quais são as causas, quais são os sintomas, como se precaver e como tratar essa doença. Então, a MedShop preparou um especial para vocês aqui no blog, todo domingo, durante o mês de Fevereiro.

O Zika Vírus é uma infecção causada pelo vírus ZIKV, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue, já conhecido dos brasileiros, e da febre chikungunya.

Os primeiros casos de humanos contaminados por esse vírus aconteceram na Nigéria, cerca de 60 anos atrás. Mais recentemente houveram ocorrências na Oceania em 2007, na França em 2013 e no Brasil, em 2015, mais especificamente nas regiões do Rio Grande do Norte e da Bahia.

Saiba-mais-sobre-Zika-Virus-medshop

O surto no país levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar emergência internacional devido à ligação entre a infecção e milhares de casos suspeitos de bebês nascidos com microcefalia no Brasil.

No entanto, a conexão entre o Zika vírus e a má-formação ainda é uma “forte suspeita”. Os exames para provar essa teoria ainda não foram finalizados.

Também não há ainda a comprovação de que o vírus ZIKV é transmitido de pessoa para pessoa. Porém, estão sendo realizados testes para comprovar essa suspeita.

O contágio acontece pelo mosquito que, após picar alguém contaminado, pode transportar o ZIKV durante toda a sua vida, transmitindo a doença para uma população que não possui anticorpos contra ele.

Por isso, há uma preocupação tão grande em eliminar os mosquitos e erradicar sua reprodução.

Todavia, é importante lembrar que os ovos que carregam o embrião do mosquito transmissor podem suportar até um ano a seca e serem transportados por longas distâncias, grudados nos recipientes, apenas esperando um ambiente úmido para se desenvolverem. Para passar da fase do ovo até a fase adulta, o inseto demora dez dias, em média.

O Aedes aegypti procria em velocidade prodigiosa e o mosquito adulto vive em média 45 dias. Uma vez que o indivíduo é picado, demora no geral de 3 a 12 dias para o Zika vírus causar sintomas. No próximo post vamos falar mais sobre os sintomas e o tratamento. Fique ligado!

Caia na folia: 5 dicas para cuidar do seu corpo durante Carnaval

O carnaval está chegando! É época de pular, se divertir, ir pra blocos, correr atrás do trio elétrico, dançar um frevo. Não importa em que parte do Brasil você está, essa festa chega para animar todo o país! Para que você possa curtir muito na próxima semana, nós preparamos uma lista com alguns cuidados básicos com o seu corpo que é importante que você tenha durante essa época.

  1. É verão! Por isso, lembre-se de beber muita água. Se manter hidratado é importante para o bom funcionamento do corpo. E se você estiver bebendo ou for ficar muito tempo no sol, tenha cuidado redobrado com esse item. Não esqueça a garrafinha de água então.
  2. Para quem vai sair de casa para aproveitar nas ruas, não se esqueça de passar protetor solar. Não só vai evitar queimaduras de sol desagradáveis como vai te proteger da radiação solar. Sua pele merece esse cuidado.
  3. Refeições reforçadas são importantes. A gente se diverte tanto que pode esquecer de manter uma alimentação balanceada. Antes de sair de casa tome um café da manhã reforçado!
  4. Não fique segurando por muito tempo sem urinar. Assim que você achar que você vai precisar de um banheiro procure um banheiro químico. As filas podem estar grandes, então já corra para o banheiro. Nada de se aliviar na rua, hein!
  5. Não deixe de usar sapatos confortáveis. Você provavelmente vai andar bastante, então garanta que o seu sapato seja confortável, e de preferência fechado. Você ainda pode colocar uma palmilha ortopédica para ter ainda mais conforto.

Com certeza seguindo essas dicas você vai se divertir muito! Beba com moderação e responsabilidade. Aproveite!

Se quiser passar na MedShop para comprar a sua palmilha, fique atento aos nossos horários de funcionamento para o carnaval.

Funcionamento_Carnaval