Zica Vírus: 11 dicas de como se proteger e mais!

O Zica Vírus é um caso que a OMS (Organização Mundial de Saúde) entendeu como emergência internacional. O Papa Francisco em pronunciamento abriu uma exceção ao uso de contraceptivos aos cristãos, pensando em evitar mais casos da doença e diminuir casos de microcefalia. A doença ainda não foi totalmente desvinculada desses acontecimentos, por isso é importante, principalmente para as grávidas, ter atenção para evitar o contagio e a proliferação da doença. Já falamos sobre o que é o Zica Vírus, quais são os sintomas e tratamento. E hoje, vamos falar sobre como evitar a doença.

Vamos dividir esse post em dois. A primeira parte vai ser sobre como evitar a proliferação. O vírus já está, literalmente, pelos ares, por isso, precisamos nos unir para acabar com a reprodução dos mosquitos. A segunda parte vai falar sobre o que fazer e como se prevenir contra o vírus, enquanto não erradicamos os mosquitos.

Como evitar a proliferação

1.       Evite água parada

Já vimos que o mosquito se reproduz na água parada, por isso, para evitar sua reprodução  é importante tomar precauções em sua própria casa. Preste atenção em tudo que pode acumular água em sua casa, vire garradas vazias e baldes para baixo, retire entulhos do quintal ou de terrenos vizinhos,  varra a água acumulada no quintal e na rua, limpe as calhas, cubra caixas d’água e piscinas, que não estejam devidamente cloradas (o cloro impede a reprodução dos mosquitos).

2.       Mantenha tudo limpo

Mantenha tudo lavado com água e sabão! Os ovos do Aedes podem resistir por 1 ano num local seco, esperando a quantidade mínima necessária para iniciar sua transformação de lava a mosquito. Por isso, lave diariamente recipientes de comida de animais domésticos e itens que podem ser depósitos para os ovos do mosquito.

3.       Coloque areia nos vasos de planta

Coloque terra nos pratos que ficam embaixo dos vasos, pois ela manterá a umidade para a planta e evitará a reprodução do mosquito.

4.       Cuidado com o lixo

Feche bem os sacos plásticos e coloque o lixo na rua apenas nos dias de coleta pelo caminhão do lixo. O lixo de casa pode acumular água e favorecer o crescimento do mosquito.

 5.       Se você foi infectado, evite a propagação.

Se uma pessoa está infectada o vírus fica no sangue e pode ser passado para os outros por meio de picadas.

Por isso, ela deve seguir passando repelente principalmente na primeira semana e tomar os devidos cuidados para evitar outras picadas – que poderão contaminar outras pessoas por intermédio do mosquito picador.

Além disso, apesar de não haver nenhuma confirmação oficial de que há risco de transmissão sexual do zika (e de isso estar sendo estudado), alguns especialistas recomendam o uso de camisinha pelo menos por duas semanas durante a recuperação da doença.

Extra:

Em alguns lugares afetados estratégias bem diferentes foram adotadas para controlar a proliferação do Aedes Aegypti.

Em Jacobina (BA) e em Piracicaba (SP) a população conseguiu controlar a reprodução do mosquito desenvolvendo um mosquito macho, geneticamente modificado, com a proteína TTA.

Os mosquitos que nascerem dos cruzamentos com esses transgênicos irão morrer antes de chegar à vida adulta.

Em Itapetim (PE) foi criado um “exército natural” de peixes de pequeno porte de água doce e colocá-lo em caixas d’água e cisternas que abrigam larvas do mosquito. O peixe come os ovos e os impede de se desenvolver.

Como se prevenir

7.       Use repelente

Aplique repelente regularmente, obedecendo às instruções da embalagem. O Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) recomenda a utilização de repelentes à base de n,n-Dietil-meta-toluamida (DEET) ou icaridina. Uma dica que pode ser boa e não faz mal é usar repelentes naturais como óleo de andiroba, óleo de copaíba, alecrim, citronela, laranja, eucalipto. As velas de citronela, também podem ser uma boa para espantar mosquitos.

8.       Coma alimentos ricos em vitamina B1

O processo digestivo de alimentos com essa vitamina liberta compostos sulfúricos na pele, que por sua vez, tem um aroma que os mosquitos não gostam. Alguns exemplos desses alimentos são: ovomaltine, arroz integral, farinha integral, levedura de cerveja (pode ser usada em pó para fazer vitamina).

9.       Use roupas compridas

Utilize roupas que deixem poucas partes do corpo expostas ao mosquito. No verão pode ser um pouco mais difícil cumprir essa recomendação, mas, pelo menos de noite, pode ser uma boa se cobrir um pouco mais. . Mas é bom lembrar que o Aedes aegypti costuma agir mais durante o dia, então é bom que o cuidado seja permanente.

10.       Certifique-se que o seu lar é “à prova de mosquito”

Nós sabemos que no calor é difícil manter a casa fechada. Mas no final da tarde é importante mantes portas fechadas e janelas vedadas. Colocar telas em portas e janelas é importante para impedir a entrada do mosquito em casa, evitando que ele se multiplique no lixo da cozinha, em vasos de plantas ou em poças de água no banheiro.

Durante a noite, um mosquiteiro pode oferecer uma proteção extra.

11.       Pesquise sobre o “Fumacê”

Basicamente, são caminhonetes adaptados “mangueirões” que soltam jatos de inseticidas em casas ou edifícios para matar os mosquitos adultos. A técnica tem sido bastante utilizada em algumas das regiões mais afetadas do país e nos locais de competições olímpicas aqui no Rio de Janeiro. Você pode se juntar com os vizinhos e pensar se essa solução vale a pena.

12.       Evite viagens

Os órgãos de saúde têm opiniões controversas nesse item.  Os representantes do CDC, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos, se pronunciaram indicando que “até que se saiba mais a respeito da doença, mulheres grávidas devem considerar adiar viagens para quaisquer áreas onde a transmissão do zika vírus está endêmica”.

No entanto, a OMS, não adotou a mesma recomendação. E disse: “Baseado em evidências concretas, a OMS não está recomendando nenhuma restrição de viagem ou de negócios relacionada ao zika vírus. Como medida de precaução, alguns governos podem fazer recomendações de saúde pública para a população local baseados em suas avaliações próprias.”

Por isso, se você vive em uma das áreas de maior incidência do mosquito e da doença, que são Pernambuco, Paraíba e Bahia, não se desespere para sair de sua cidade, porém, evite visitá-las enquanto estamos na luta contra o vírus e o mosquito.

É sempre melhor prevenir, não é mesmo? O que você está fazendo para se proteger contra a Zica? Conta pra gente!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>